Manifestação nesta quinta-feira em Ponta Grossa, como foi e oque senti






Manifestos há mais de uma semana levam um número incontável de pessoas às ruas do Brasil inteiro, e Ponta Grossa não ficou de fora.
Ponta Grossa 4° maior cidade do Paraná de grande importância  pelos centros universitários, também participou dos manifestos que estão nacionalmente acontecendo, nesta quinta-feira, 20, reunindo aproximadamente 2 mil pessoas manifestando contra o monopólio do transporte coletivo, atualmente administrado pela VCG, exigindo melhorias no mesmo, outros gritos foram em relação ao arquivamento do processo da ex vereadora Ana Maria, acusada de ter se auto sequestrado, também contra a PEC 37, melhoria na educação na saúde e apoio aos demais manifestantes pelo Brasil.


O manifesto que se iniciou na conhecida Praça dos Polacos, na Balduíno Taques, importante avenida na cidade por volta das 18h seguiu em direção ao Terminal Central pela Coronel Cláudio que se encontrava vazia com os semáforos fechados e a polícia fazendo eu papel na sociedade, protegendo.
No Terminal
O terminal central como da primeira vez
, segunda, 17, foi invadido pelos manifestantes tudo numa forma pacifica, o ônibus lá não foram depredados, porém não saiam do terminal e os que não estavam no local encontravam-se parados na rua, vazios. Depois de alguns minutos no terminal central, todos subiram em direção a Avenida Vicente Machado gritando e chamando o pessoal que assistia tudo nos prédios, caminhamos até a Balduíno e subimos e ficamos alguns minutos na frente do Cescage, que ganhou os noticiários pelo desvio de dinheiro de uma das proprietárias.

Oque eu senti
À noite em Ponta Grossa não colaborou, foi fria e chuvosa, porém a democracia invadiu nossos peitos e mesmo com enxurrada havia pessoas gritando pelos seus direitos, desci da faculdade com o 2° ano de jornalismo e um colega da minha turma, quero deixar claro minha indignação com algumas pessoas que dizem querer ser jornalistas do 1° ano, porque negociamos e fomos dispensados para irmos e... você imagina a resposta, enfim, junto deles fui rumo ao terminal central, as ruas de Ponta Grossa estavam calmas e fechadas, o terminal central estava parado e os manifestantes se encontravam lá, gritando pelo fim do monopólio e sobre a ex-vereadora Ana Maria além de melhoria na saúde e educação e gritos falando do atual prefeito da cidade.

Foto Diogo Silvestre - 1° período de Jornalismo Secal

De primeira fui como aspirante a jornalismo para ajudar o pessoal do 2° ano com a cobertura que provavelmente estará no Nova Pauta (jornal acadêmico) e que ano que vem estarei fazendo, estava com a Mel e a Maria, na verdade perdemos a Mel, tentamos sim fazer entrevista, principalmente com os funcionários da VCG, porque temos informações de algo, que não divulgarei porque pode ser apenas um rumor, mas quando vi estava no meio do povo lá gritando, pulando “vem pra rua” “eu protesto sim, foi a educação que você deu pra mim” “Que país é esse? É a porra do Brasil!”.
Foto Diogo Silvestre - 1° período de jornalismo Secal


Vocês não sabem qual é a sensação de estar presente, gritando, não ligando para a chuva que deixou minha blusa pingando, andar sem medo no meio dos carros parados (Balduíno Taques) gritando para eles buzinarem em apoio, mostrar insatisfação, filmar, tirar fotos, chegar molhado de volta na faculdade, com o cabelo pingando, com o óculos molhado, é uma sensação indescritível, de fato dá para sentir que mudanças virão, os gritos arrepiando, INDESCRITÍVEL A SENSAÇÃO DE LUTAR POR UM PAÍS, UM ESTADO E POR FIM UMA CIDADE MELHOR!


O protesto em Ponta Grossa que contou com um número grande mesmo de forma totalmente pacífica com chuva foi o 2° de muitos que virão, acorda Brasil, acorda Paraná, Acorda Ponta Grossa!
Wilian F.